primeiro satélite nacional Angosat 1 vai mesmo entrar em órbita este ano, reiterou recentemente, em Luanda, o ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação,
José Carvalho da Rocha.
De acordo com o governante, que falava à imprensa, depois de um encontro à porta fechada com o vice-primeiro ministro da Federação da Rússia e representante plenipotenciário do Distrito Federal do Extremo Oriente, Yuri Trutnev, sublinhou que neste momento o projecto caminha conforme se previa, estando acima de
80 por cento de execução.
Disse ser importante olhar para a formação e capacitação dos profissionais atendendo ao facto do Angosat1
estar em órbita ainda este ano.
“O encontro foi para rever o nosso nível de cooperação, particularmente os projectos que temos estado a desenvolver no nosso sector com o apoio da parte russa. Fizemos uma avaliação do estado do projecto e pensamos nos próximos
passos a serem dados”, frisou.
O Angosat1 será o primeiro satélite de comunicações de Angola, cujo contrato foi assinado pelas partes russas e angolanas no ano de 2009. Os trabalhos começaram no final de 2012 e terá uma capacidade de 16 transponderes, em banda C e seis em banda KU para fornecer serviços de telecomunicações para Angola, com uma abrangência de cobertura do sinal de recepção na banda C deste, podendo afectar
toda África e Europa.
Por outro lado, José Carvalho da Rocha, incentivou, maior participação do empresariado privado nas oportunidades
existentes no sector.
De acordo com o governante, à luz do investimento privado, o Estado começa a desaparecer como principal investidor, permitindo o aparecimento paulatino do sector privado.
Para o ministro, o lema do Dia Mundial das Tecnologias de Informação, que assinalou-se no passado dia 17 de Maio, “Investimento privado no sector das telecomunicações e das tecnologias de informação: quadro legal, fonte de financiamento, oportunidade e desafio” se insere bem nos desafios ao que o sector se propõem.