A Agência de Promoção de Investimentos e Exportações (APIEX) presenciou e assinou recentemente, em Luanda, um protocolo de intenção de parceria para investimento entre a empresa angolana Sogespro, engenharia e consultoria e o grupo chinês Guangnxi Liuzhou.
As áreas de actuação correspondem a Agricultura, Indústria e Energia.
Durante a assinatura do protocolo, António Henriques da Silva, PCA da Apiex, disse ser um marco importante de envolvimento entre o empresariado privado nacional pois vem assinalar um momento especial na relação entre Angola e China.
A Apiex como entidade facilitadora de promoção e captação de investimento viu uma boa oportunidade de participar em iniciativas como esta, desejando a sua materialização e que actos dessa índole se repliquem por todo o país.
“Oferecemos todo o nosso apoio para que possam cumprir e respeitar todas as etapas que a lei prevê até a aprovação do investimento”, referiu.
No quadro actual de investimentos privados, o PCA da Apiex disse que há diferentes entidades se passaram uma nova orientação, que tem a ver com a aprovação dos projectos, não só pela natureza do sector de actividades em que se vão desenvolver, mas pela localização, como a província da Lunda Sul, constituindo-se exactamente naqueles que são os propósitos da diversificação e também da redução das assimetrias regionais no nosso país, referiu.
Segundo disse, essa parceria pretende criar postos de trabalho, valor, e promover a distribuição da riqueza.
Já José Dantas, director geral da Sogespro, afirmou ser o começo de uma nova era para o desenvolvimento industrial, particularmente na província da Lunda Sul. A instituição que dirige manteve contacto com o grupo chinês durante seis meses e hoje, dá-se o primeiro passo rumo à materialização da parceria.
Junto a Apiex assinou-se o protocolo de intenção de parceria que vai culminar com a assinatura de investimento junto a Unidade Técnica para o Investimento Privado(UTIP).
O gestor salientou que os projectos poderão envolver mais de 500 pessoas e traduzir-se na melhoria do bem estar das famí lias angolanas. As áreas a investir correspondem a produção de açúcar, álcool, energia, produtos siderúrgicos além de equipamentos eléctricos como contadores digitais e inteligentes.
A representante do grupo chinês Guangnxi Liuzhou , He Ying, disse que a parceria vai beneficiar as duas partes e que os projectos estão a ser ainda analisados para desta forma saber efectivamente quanto investir em determinada área de actuação. “As nossas maiores intenções estão viradas para a área da indústria e agricultura como a cana de açúcar”, finaliza.