O arroz de marca “Cordão azul”, proveniente da República da Tailândia, tem características normais e é próprio para o consumo humano, garantiu em Luanda, o Ministério do Comércio.
Após análises feitas em três laboratórios distintos, dentro e fora do país, os resultados indicam que o arroz é próprio para o consumo humano, sem qualquer inconveniente, disse em conferência de imprensa o inspector-geral
do Comércio, Heleno Antunes.
O responsável informou que depois das denúncias recebidas pelo ministério, o sector apreendeu 12.500 sacos de arroz de 25 quilos cada um, que neste momento já foram entregues aos respectivos donos.
Entretanto, considerou as denúncias postas a circular de “má fé”, pois visavam descredibilizar as instituições do Estado, acrescentando que medidas correctivas serão tomadas aos cidadãos que pretenderem manchar o trabalho
desenvolvido pela instituição.
Na ocasião, o técnico do laboratório geral do Ministério da Agricultura, Augusto Cambiz, informou que o arroz cordão azul foi submetido a análises microbiológicas, físicas, químicas e organolécticas, tendo-se constatado que o odor, o sabor e a cor que o produto apresentava eram próprios e característicos
de um arroz normal.