Os governadores da Lunda-Sul Daniel Neto e de Sakha, na Russia, Aisen Sergeevich Nikolaev, subscreveram na cidade de Saurimo, um protocolo de geminação, com estratégias de desenvolvimento sustentável, a favor dos sectores do Comércio, Ciência e Tecnologia, Desporto, Educação, Protecção Ambiental e Turismo, válido até ao ano 2022.
Pela parte Russa Nikolaev enalteceu a subscrição do protocolo pelo governador e valorizou o potencial disponível na província tendo manifestado a disponibilidade de contribuir em prol do desenvolvimento do capital humano. Referiu que “ temos quadros competentes” , direccionados para o “ensino nas áreas da “agricultura e protecção ambiental” disponíveis para transmitir a sua experiência para garantir vida digna aos angolanos.
Depois de atribuir mérito ao Presidente da República para os contactos desembocarem na assinatura do convénio, o governador Daniel Neto expressou confiança na concretização das estratégias definidas para dar impulso aos projectos nele contidos. Antevê um futuro carregado de oportunidades de emprego particularmente para os jovens e de formação em distintas áreas do saber.

Linhas de força
A essência dos consensos espelhados em “dez grandes desígnios,” orientados por seis eixos de actuação, prevêem, no domínio do desenvolvimento sustentável, a inclusão económica e social efectiva, para reduzir o sentimento de desigualdade, tido como potencial
estimulante da violência.
As partes abraçam as obrigações no desafio de investir na construção de fontes renováveis de geração de energia e impulso na concretização do sistema Leste. O objectivo é elevar a taxa de electrificação da província que oferece os exíguos 63 Megawatt, contra 175 necessários, para uma população estimada em 630 mil habitantes, dos quais cerca de 603 mil vivem em Saurimo.
Ressalta que os investimentos feitos na produção de energia através de sistemas fotovoltaicos, com impacto na iluminação pública na sede da província e vilas do interior estão na fase residual,
Na região Centro Leste onde as projecções do Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam para mais de 730 mil habitantes até lá, as necessidades em energia eléctrica estão calculadas em 210 MW ou mais de 200 Gigawatt GW.
As oportunidades de participação de investidores russos abrange a recuperação de infra-estruturas essenciais, como a estrada nacional EN 230, largamente utilizada pelo Catoca, maior empresa diamantífera do país, na qual a Al Rosa é sócia.
Por conta do seu protagonismo mundial na produção de diamantes, através da AL Rosa, numa lista em que Angola figura na última posição seguida pela África do Sul, as partes vêem na descoberta de novos kimberlitos oportunidade para melhorar a cota de angola no mercado.