A Associação das Indústrias de Bebidas de Angola apresentou, esta semana, ao Ministério da Indústria, o seu mais recente estudo
de viabilidade do sector.
Dados do INE asseguram que o sector das bebidas representa actualmente 4% do PIB nacional.
Segundo um comunicado de imprensa chegado à Redacção do JE, o sector das bebidas continua a ser um dos mais desenvolvidos em Angola em termos de tecido empresarial e capacidade de produção. Refere que as empresas líderes têm uma presença e capacidade de distribuição a nível nacional e operam sob rigorosos padrões internacionais de qualidade.
“Este sector contribui, assim, de forma activa, para o desenvolvimento social e económico do país, com um impacto considerável no mercado nacional, com 40 fabricantes de bebidas a actuar no país nas categorias de cervejas, refrigerantes (gaseificados), sumos e néctares (não gaseificados), águas de mesa, vinhos e espirituosas; criação de emprego”, lê-se na nota.
O documento assegura ainda que o sector é responsável por cerca de 13.600 postos de trabalho directos e gere cerca de 42.000 postos de trabalho indirectos. O segmento é motor de desenvolvimento dos sectores adjacentes, contribuindo na redução do consumo de divisas estrangeiras e no equilíbrio da balança comercial.
A utilização da capacidade instalada da indústria, contribuirá para a melhoria da performance das exportações que se cifrou, em 2017, em cerca de 0,6 milhões de litros.