Uma delegação empresarial do ramo agrícola do Reino da Holanda (Países Baixos) manteve terça-feira contactos com empresários locais, ligados a produção de frutas para analisar a possibilidade de investir no sector da agricultura.
A delegação foi encabeçada pelo embaixador plenipotenciário daquele Reino Europeu, Anne Gerard Van Leeuwen.
Por se tratar de uma visita de pesquisa do mercado Agrícola da província, a delegação holandesa recebeu do governador informações segundo as quais no domínio da produção agrícola, o grosso centra-se primeiro nos cereais, bem como os produtos hortofrutícolas que se vêm cada vez mais impondo no mercado nacional.
“Há fundamentalmente três produtos na área dos frutos que se vão impondo no mercado nacional como a banana, a manga e o ananás”, esclareceu o governador Rui Falcão.

O governador de Benguela, fez questão de esclarecer a delegação do Reino dos Países Baixos, que ao governo da província de Benguela, cabe apenas o papel de facilitador de todo desenvolvimento da província,ficando os negócios sob responsabilidade dos empresários, tendo complementado que o trabalho que está a ser feito com os empresários, destina-se a fazê-los crescer de forma sustentada.
Rui Falcão, admite haver inúmeras dificuldades e que alguns empresários do sector agro-pecuário, apesar de já estarem no ramo há muitos anos, estão perante uma nova realidade, o que nos obriga a efectuar um trabalho profundo de parceria para regularizar a titularidade das terras, como base para poderem crescer com tranquilidade.
Gerard Von Leeuwen, o embaixador holandês que se fez acompanhar de 14 empresários do ramo agrícola na visita a província de Benguela, afirma que como diplomata e representante do seu governo em Angola, encontra-se na mesma posição que a do governador provincial, em relação aos negócios por se tratar de outro facilitador, pois o facto de conhecer as pessoas em Angola e na Holanda, lhe colocamww nessa posição “e aí é que se juntam as pescas”, parafraseou.