Mais de 80 contentores com produtos da cesta básica já se encontram nos armazéns da delegação Regional de Entreposto Aduaneiro, em Moçamedes, para serem comercializados à rede comercial das províncias do Namibe, Huíla e Cunene.
Do lote de mercadorias, destacam-se 22 contentores de açúcar, 25 de óleo alimentar e 20 de fuba de milho.
A recepção desses produtos enquadra-se no plano de importação dos produtos básicos que o Executivo está a empreender para fazer baixar
os preços da sexta básica.
De acordo com a delegada regional de Entreposto Aduaneiro, Maria Ferreira, que prestou a informação à Angop, até amanhã (sábado) serão recepcionados 32 contentores de farinha de trigo e de seis a 19 de Dezembro poderão receber mais 66 contentores do referido produto.
A responsável assegurou que a partir do balcão do entreposto, um saco de açúcar de 50 quilos está a ser comercializado a oito mil e 900 kwanzas, um saco de farinha de trigo no valor de sete mil, o preço do saco de fuba de milho, também de 50 quilos, está em estudo, enquanto a caixa de óleo alimentar está a ser comercializada a seis mil kwanzas.
Comparativamente aos preços praticados a partir do primeiro trimestre do ano em curso, de acordo com a delegada regional, houve uma redução na ordem de 30 por cento.
Produção diversa Dezoito mil e 476 toneladas de produtos diversos foram produzidos, em Moçamedes, durante o ano em curso, num
espaço de mil e 76 hectares.
A informação foi prestada pelo director municipal da Agricultura, David Frederico, em declarações à Angop.
Entre os produtos cultivados, o responsável disse estar os cereais, tubérculos, legumes e frutas diversas.
Segundo David Frederico, a preparação de terra feita de forma mecanizada, nos pólos agrícolas da região, tem permitido aos camponeses desenvolverem a sua actividade sem sobressaltos, o que tem contribuído para a obtenção de boas colheitas.
Disse que se trata de um sistema de produção intensivo, onde a rega é feita no sistema gota a gota, por via de captações subterrâneos.
No quadro dessa aposta, afirmou que o Governo tem feito a entrega de sementes de milho, feijão batata-doce/ rena, cebola, mandioca,
tomate e couve.
Referiu que essa ajuda se enquadra no programa de apoio às famílias camponesas e visa contribuir no combater à fome e à pobreza entre as famílias.
Reconheceu a persistente dificuldade para a obtenção de fertilizantes e pesticidas para contrapor as pragas de insectos que têm
devastado as culturas.