A população do Bié dispõe de mais um estabelecimento comercial, que vai se dedicar a venda de diversos produtos da cesta básica.
O empreendimento ligado a Rede Nova Distribuidora Alimentar e Diversos (NDAD) abriu as portas ao público, na passada quinta-feira, e vai comercializar arroz, feijão, óleo, massa alimentar e bebidas, com destaque para sumos e água mineral.
Em declarações à imprensa, o director da nova unidade comercial, Egas Morais, garantiu que a empresa vai colocar à disposição da população produtos da cesta básica a preços atractivos.
O gestor sublinhou que a iniciativa está inserida na estratégia do Executivo angolano que entre outros objectivos prevê garantir e disponibilizar produtos alimentares para todas as popuilações com a qualidade desejada, contribuindo assim no acesso aos vários produtos.
O responsável fez saber que a meta é garantir uma quadra festiva segura em produtos, reduzir a procura, bem como a especulação dos preços, face ao défice que ainda se regista, motivado pela dificuldade da importação de mercadorias.

Abastecimento garantido
Segundo avançou, a inauguração do novo armazém enquadra-se na estratégia da empresa, que tem como meta a expansão da marca para todo o território nacional.
“A nossa estratégia visa levar os produtos da cesta básica até a casa do cidadão à preços competitivos”, sublinhou.
De acordo com o director comercial da empresa, Egas Moarais, só para província do Bié, para a presente quadra festiva estão disponíveis aproximadamente 300 contentores, com capacidade para 30 toneladas cada, com bens alimentares diversos, destinados para assegurar um “Natal feliz”.
Entre as prioridades para o próximo ano, o responsável da empresa apontou a abertura de novos armazéns, nas províncias do Cuando Cubango, Moxico e Lunda Sul, para reduzir a procura  de bens de primeira necessidade no corredor Leste do país, bem como na zona Centro e Sul.

Mais-valia
Durante a ronda realizada pelo JE, Teresa Vieira, que visitou o novo estabelecimento comercial, para comprar massa alimentar, óleo vegetal e farinha de trigo, disse que a nova unidade comercial vai “desafogar” as que já operam na província , contribuir para a redução dos preços e melhorar a dieta alimentar da população.
Teresa Vieira afirma que na compra da caixa de massa alimenatar por exemplo, economizou 900 kwanzas em relação ao armazém onde adquiriu o mesmo produto há duas semanas.
Já na aquisição da caixa de oléo vegetal, poupou 400 kwanzas em relação as últimas compras, ao passo que na farinha de trigo poupou dois mil kwanzas.