O coordenador do Balcão Único do Empreendedor (BUE) no município do Kwanhama, Cunene, Paulo Adriano Simões, disse quarta-feira (24/7), em Ondjiva, que criou uma secção denominada “unidade técnica” para acompanhamento e fiscalização das actividades dos aderentes ao “crédito meu negócio minha vida".

Em declaração à Angop sobre o processo de reestruturação funcional do BUE, o responsável frisou que esta iniciativa é para ter maior controlo dos beneficiários do crédito, bem como poder acompanhar o evoluir dos seus negócios, tendo em vista o objectivo da concessão do crédito, que é o fomento do auto-emprego e a participação activa dos jovens na economia do país.

Paulo Simões sublinhou que a monitorização e a fiscalização dos financiados se impõe nesta nova fase de concessão do crédito, pois há que incutir aos aderentes à mentalidade que os valores recebidos, traduzidos em bens, devem ser reembolsados.

“E para se cumprir este pressuposto é necessário a rigidez e a disciplina na actividade económica que vier a exercer”, referiu o responsável.

Disse que esta fiscalização vai se consubstanciar na identificação do estabelecimento e as condições do local, de acordo com as normas exigidas para pequenos negócios.

A província do Cunene conta com dois postos do Balcão Único do Empreendedor (BUE), localizados nos municípios do Kwanhama e Namacunde.

BUE é um novo serviço público cuja finalidade é simplificar o processo de constituição, licenciamento de empresas e regularização de empreendedores que se encontram no mercado informal.