Empresários de Angola e Zâmbia passam a contar com os auspícios de uma Câmara de Comércio e Indústria, constituída sábado, em Luanda, em cerimónia testemunhada pelos embaixadores dos dois países
Marcos da Fonseca, presidente do órgão de promoção empresarial, disse que a Câmara será um importante suporte para o incremento das trocas comerciais entre Angola e Zâmbia.
Azevedo Xavier Francisco, embaixador de Angola na Zâmbia, assegurou que a missão diplomática que lidera, afirma-se como parceira da câmara. “Os empresários angolanos interessados em realizar negócios no país vizinho podem contar com o apoio da nossa missão” -referiu o diplomata angolano.
A constituição da Câmara de Comércio e Indústria Angola/ Zâmbia ocorre numa altura em que os dois Estados trabalham no incremento das relações comerciais, tidas como excessivamente informais, e pouco significativas, parte da qual realizada ao longo da fronteira comum.
Há dois anos, uma fonte do Ministério da Economia e Planeame nto disse à imprensa que o volume dos negócios, entre os dois países, não ultrapassava os usd 20 milhões/ano.
Empresários angolanos buscam em terras de Kenneth Kahunda, basicamente, sementes agrícolas, farinha de milho, hortofrutícolas, além de carne bovina e ovos.
Angola é vista pela Zâmbia como parta para a solução dos seus graves problemas energéticos, com visíveis reflexos nas restrições no fornecimento de energia eléctrica as principais cidades do país.