Não bastasse a dívida de 11 meses de salários atrasados com os trabalhadores, a empresa “Transportes Marítimos de Angola - TMA”, que gere os catamarãs, está em situação ilegal, segundo o secretário de Estado dos Transportes, António Joaquim da Cruz Lima.
A empresa inaugurada pelo ex-Chefe de Estado nunca chegou a ser legalizada, pagava salários através do Conselho Nacional de Carregadores (CNC) e abastecia com combustíveis os barcos - catamarãs por via do Porto de Luanda, segundo fez saber esta semana o secretário de Estado dos Transportes. Em face da situação de 11 meses com salários atrasados, o Ministério dos Transportes assume liquidar as dívidas mediante certificação dos valores reclamados e reavaliar a situação de cada trabalhador, uma vez que a admissão dos mesmos não obedeceu o critério de concurso público, conforme previsto na lei.