Bernardo Capita em Cabinda

Uma central fotovoltaica com a capacidade de produzir 50 Megawatts (MW) de energia eléctrica vai ser construída em 2020 na cidade de Cabinda, para reforçar a produção e melhorar os níveis de abastecimento às populações.
Segundo o governador da província, Marcos Alexandre Nhunga, está previsto, também no período em referência, a montagem de duas turbinas de 50 MW cada, que fará “um ciclo combinado” com a fonte de alimentação à gás e em simultâneo com a central térmica de Malembo, irão elevar a produção de energia eléctrica para 400 MW, contra os actuais 150,7 produzidos na província.
O governador destacou os trabalhos de electrificação da cidade de Cabinda e bairros periféricos que contemplam o alargamento da rede de alta e média tensão bem como a construção de subestação eléctrica na Vila de Buco-Zau.
Marcos Alexandre Nhunga disse ainda que o projecto de electrificação da província irá contemplar a construção de redes de transporte e de distribuição com ligações domiciliares, o que na sua visão, poderá solucionar o problema da energia e a industrialização da região.

Fornecimento de água
No domínio das águas, o governador disse que o Executivo, na perspectiva de resolver em definitivo o problema da produção e distribuição na cidade de Cabinda e Vila de Lândana, está a financiar as obras em curso e com uma execução física de 63,5 por cento, do maior Sistema de Tratamento de Água (ETA de Sassa-Zau) com a capacidade para produzir 2.160 metros cúbicos hora.
Actualmente, a província conta com 78 sistemas de abastecimento de água, que produzem 1.488 metros cúbicos hora, e, uma rede de distribuição com mais de 100 quilómetros de tubagem.
Em termos de abastecimento de água nas zonas rurais, o governador Marcos Alexandre Nhunga afirmou que o sector tem contado com os préstimos da petrolífera Chevron, que no âmbito das suas responsabilidades sociais.
A empresa, segundo disse, tem estado a brindar às comunidades com a construção de pequenos sistemas de água, sobretudo as que residem na zona costeira da província.
A província de Cabinda conta com uma população de 801.374 habitantes e com uma área territorial de 7.283 quilómetros quadrados, bem como os municípios de Cabinda, Cacongo, Buco-Zau e Belize.

interligação dos sistemas

Sector eléctrico regista ganhos com aumento da capacidade

Apesar da exiguidade de recursos financeiros, decorrentes da crise económica e financeira, o sector eléctrico registou ganhos em 2019, fundamentalmente o aumento da capacidade de geração, transporte e distribuição de energia em Angola.
Além da produção, o sector apostou na expansão dos sistemas, ao consolidar o projecto de interligação dos sistemas Norte, Centro e Sul do país, essenciais para o relançamento da vida económica do país e para a melhoria do bem-estar social das famílias.
Em Junho, entrou em operação comercial a quinta e penúltima turbina, com capacidade de 334 MW, da central da barragem de Laúca, o Ciclo Combinado do Soyo e outros projectos de reforço nas cidades do Namibe, Huambo, Benguela e Menongue.
Isso permitiu ao país atingir uma capacidade instalada de cinco mil e 235 MW, correspondendo a um incremento de 19% em relação à capacidade instalada de 2017. A entrada em funcionamento da quinta turbina de Laúca, em Junho de 2019, permitiu que esse empreendimento hidroeléctrico atingisse os mil e 670 MW, dos 2070 MW previstos com a sua conclusão, que se perspectiva para o próximo ano (2020).
Essa capacidade, com a contribuição das centrais hidroeléctricas do Médio Cuanza e da Central de Ciclo Combinado do Soyo e a extensão da rede eléctrica nacional, permite a integração de 10 províncias (Zaire, Uíge, Malanje, Bengo, Luanda, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Huambo, Bié e Benguela).
Agostinho Kilemba/Angop