A entrada em funcionamento de instituições públicas e privadas no Nosso Centro, localizado na rotunda do Gamek, em Luanda, está a garantir mais público para os diferentes estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços localizados no seu interior.

Em entrevista ao JE, Jerónimo Paulo, gerente do Nosso Centro, afirmou que o número de pessoas que visitou a instituição aumentou consideravelmente nos últimos meses devido à inauguração de instituições públicas no local. O caso mais recente foi a entrada em funcionamento do Centro de Apoio ao Empreendedorismo Comercial (CAEC), instituição adstrita ao Ministério do Comércio que visa prestar informações e licenciar todo o tipo de actividade comercial. “O processo de renovação do alvará tem estado a levar muitos a visitarem o Nosso Centro. Por isso, acabam por ter contacto com outros serviços. Isto é bom para os investidores do centro” referiu, sem no entanto avançar
dados estatísticos.

O referido CAEC junta-se às outras instituições, nomeadamente a loja de registos do Ministério da Justiça, Guiché Único de Empresas, Epal, Edel, Angola Telecom, Taag, Inadec, Mundial Seguros, Imprensa Nacional e outros serviços públicos cujos centros de atendimento ao cidadãos estão já operacionais no “Shopping do Cidadão”, como também é conhecido.

O Nosso Centro foi inaugurado em Maio do ano passado. Trata-se de um centro comercial de investimento público, que junta num vasto espaço serviços para atendimento público, lojas privadas e serviços financeiros integrados (bancos comerciais).
O objectivo da sua inauguração foi descentralizar os serviços públicos e o apoio aos empreendedores locais.

A estrutura do Nosso Centro possui dois pisos construídos numa área de 38 mil metros quadrados que albergam 27 serviços públicos, 26 serviços privados e 38 estabelecimentos comerciais. Tendo ainda por perto um terminal rodoviário inter-provincial e dois parques de estacionamento.

Investimento
A implementação do Nosso Centro criou 630 empregos directos e consumiu um investimento de 90 milhões de dólares do extinto Programa de Reestruturação do Sistema Logístico e de Distribuição de Produtos Essenciais à População (PRESILD) que deteve 94,5 por cento do capital, sendo o capital restante do Governo da Província de Luanda (GPL).

A construção durou dois anos e as obras estiveram a cargo da construtora Odebrech. A gestão do Nosso Centro é da respons