Dois milhões de passageiros foram transportados pelos comboios do Caminho-de-ferro de Benguela (CFB) desde 2011, altura da retomada da sua circulação, até Maio deste ano.
O dado foi avançado, pelo presidente do Conselho de Administração do CFB, José Carlos Gomes, em declarações à imprensa, no acto de entrega do troço ferroviário entre as cidades do Lobito e Huambo, feita pela empresa chinesa responsável pela reabilitação do
Caminho-de-Ferro de Benguela.
Disse que os passageiros foram transportados desde Lobito (Benguela) até Dilolo (Moxico), região fronteiriça com a República da Zâmbia e vice-versa.
Em termos de mercadoria, José Carlos Gomes disse terem sido transportadas, no mesmo período, um total de 95 mil toneladas de produtos diversos, destacando-se combustíveis, gás natural, material de construção, bebidas e madeira.
Deste modo, salientou que a circulação dos comboios trouxe inúmeras vantagens na vida das populações da região.
Referiu que os resultados neste domínio são visíveis, quer na circulação de pessoas e bens da cidade para o campo e vice-versa, quer no escoamento da produção agrícola dos camponeses, assim como a importação de bens e produtos por parte dos empresários locais.
Avançou que muitos jovens encontram no Caminho-de-Ferro de Benguela o primeiro emprego.