Um grupo de empresários chineses pertencente ao Instituto Industrial “Agri-Animal Husbandry” manifestou interesse em cooperar com o governo da província do Huambo nos domínios da Agricultura e Comércio, com vista a alavancar a economia do país.
O director-geral do Instituto Agro-industrial da China Ji Wenlin fez esta declaração durante um encontro que manteve com o governador do Huambo João Baptista Kussumua.
O diplomata esclareceu que do encontro mantido com o governador recebeu informações de que a região do Planalto Central tem terras aráveis para qualquer investimento na agro-pecuária.
“A província possui solos aráveis e recursos hídricos que podem viabilizar a implementação de futuras parcerias entre os empresários do
seu país e o local citou”.
Afirmou por outro lado, que Angola está a diversificar a sua economia e com esta parceria o governo do Huambo necessita de alavancar a economia com maior aposta na actividade agrícola por forma a garantir a segurança alimentar e permitir a criação de mais emprego,” frisou o diplomata.
Ji Wenlin entende que a parceria entre os dois países vão se substanciar no ramo da modernização da agricultura, com maior realce na exploração de fazendas, nas trocas comerciais de produtos agropecuários e sua conservação.
No quadro dessa parceria realçou, que além da transmissão do conhecimento, o seu país está disposto a investir no sector do turismo e cultura.
A sua vinda ao Planalto Central serviu também para estreitar as relações de cooperação com as entidades governamentais e empresariais da província.
Na ocasião, João Baptista Kussumua mostrou-se confiante na concretização das trocas comerciais, afirmando que o interesse manifestado pelos empresários chineses é uma mais-valia, tendo em conta o estado actual da nossa economia que precisa ser diversificada.