Duzentos e 99 milhões de kwanzas é o valor acumulado da dívida contraída pelos clientes, entre particulares e instituições públicas e privadas, da empresa de telecomunicações Angola Telecom na província do Huambo.
A informação foi avançada terça-feira, à Angop pelo director desta empresa pública no Huambo, Adriano José Muteka Muholo, referindo que, neste momento, a instituição está a negociar com os clientes, de modo a reaver os valores em falta desde 2003, por altura da digitalização dos serviços centrais.
Adriano José Muteka Muholo informou que a maior parte das empresas privadas que contraíram a dívida desde 2013 já não existem, mas para eliminá-la do sistema é necessário que o Ministério das Finanças a considere vencida, por ser o órgão responsável em decretar a falência dos contribuintes.
O responsável disse que uma nova actualização deverá ser feita no final do primeiro semestre deste ano, para se ter a real situação das empresas privadas, visto que muitas delas estão encerradas por incapacidade financeira, enquanto no caso das públicas as negociações continuam, de forma amigável, tal como os particulares.
Esclareceu que o processo de cobrança tem sido feito mediante a notificação por cartas de cobrança, no sentido de amortizarem, de forma faseada, as suas dívidas acumuladas, para que as empresa consiga reaver os valores em falta, sobretudo agora com a entrada em vigor do Imposto sobre o Valor Acrescentando, em Outubro do ano transacto.
Como resultado da negociação, Adriano José Muteka Muholo fez saber que a instituição recuperou, em 2019, a quantia de 15 milhões de kwanzas, sendo que, nos últimos anos, os mesmos deixaram de contrair dívida, devido à mudança do sistema de pagamento (do pós-pago para o pré-pago), consubstanciada no aperfeiçoamento dos serviços de internet colocados à disposição.
O responsável informou que a Angola Telecom na província do Huambo, onde vivem dois milhões, 519 mil e 309 habitantes, distribuídos em 11 municípios, possui 14 mil clientes, e destes, quatro mil são contratados, dos quais mil e 94 ligados ao serviço de internet.
Entre os serviços disponíveis, segundo o interlocutor, constam ADSL- internet banda larga, incluindo voz, CDMA (toque mais) – internet e voz, e o LTE – internet, este último, o mais oneroso e comercializado apenas nos municípios do Bailundo, Caála e do Huambo.