Angola está a preparar a sua participação na 37ª edição da Feira Internacional de Cuba (FIHAV), a ter lugar de 4 a 8 de Novembro próximo em Havana.
O facto foi confirmado pelo Ministro do Comércio Joffre Van-Dúnen Júnior, quando recebia em audiência a embaixadora de Cuba em Angola, Esther Armenteros Cárdenas, adiantando que Angola tem grande interesse em cooperar com Cuba no ramo da Reserva Estratégica Alimentar e da Indústria Biotecnológica.
Durante a audiência, a Embaixadora de Cuba, mostrou o claro interesse em cooperar com Angola nas áreas das quais possuem maior experiência, no caso da Reserva Estratégica Alimentar e da Indústria Biotecnológica, este pelo facto de possuírem medicamentos de última geração.
A delegação angolana indicada para o certame, será chefiada pelo Ministro do Comércio e integrará operadores económicos dos diversos ramos do comércio.
Desde 1993, Cuba vem fazendo grandes progressos na área de biotecnologia, tendo obtido o registo das suas patentes e direitos de exploração comercial nos EUA. A sua vacina contra a hepatite B é vendida em 30 países do mundo. Em 1994, o ingresso de divisas em Cuba através da exportação de biotecnologia alcançou a cifra de usd 400 milhões e estima-se que no futuro poderá ser maior que o do açúcar.
A biotecnologia cubana já gerou mais de 600 patentes para drogas novas e inovadoras como vacinas, proteínas recombinantes, anticorpos monoclonais, equipamento médico com software especial, e sistemas de diagnósticos. Cerca de sessenta outros produtos estão nos estágios finais de pesquisa. Cuba desenvolveu uma considerável capacidade de pesquisa (científica), talvez maior que a de qualquer outro país em desenvolvimento fora do Sudeste asiático.