O fomento às exportações com vista a substituição das importações requer dos quadros do sector do Comércio e dos produtores um maior dinamismo e o redobrar de esforços de todos os intervenientes na cadeia.
Estas afirmações foram feitas pelo Secretário de Estado do Comércio, Amadeu Nunes, quarta-feira, em Ndalatando, Cuanza Norte, na abertura do 11º Conselho Consultivo Alargado do pelouro que decorre de 27 a 29 do corrente mês.
Segundo o responsável, o empenho do sector, a dedicação dos quadros e o dinamismo dos produtores contribuirá para a promoção, reforço institucional dos órgãos e serviços com atribuições específicas do ministério.
De acordo com Amadeu Nunes, este dinamismo permitirá igualmente a assistência técnica voltada às instituições públicas e aos operadores económicos privados, bem como a criação de um ambiente logístico e operacional para assegurar a competitividade da produção local nos mercados internacionais.
O governante destacou a reestruturação de que estão a ser alvo os órgãos internos e externos do seu pelouro, visando conformá-los ao PND, focado na execução imediata de um conjunto de programas estruturantes.
Entre as medidas a serem implementadas, no âmbito do comércio interno, o governante apontou a optimização do processo de licenciamento da actividade comercial, com a descentralização e desburocratização do processo de emissão de alvarás.
Apontou também a integração da produção nacional no circuito interno de comercialização, abastecimento e controlo de preço dos bens alimentares, entre outras medidas.
No domínio externo, as medidas passam pela implementação da Comissão Nacional de Fiscalização do Comércio, a optimização dos processos de importação e exportação de bens e das operações de comércio externo.