O Executivo angolano está engajado na obtenção dos melhores resultados no sector comercial, ao apostar na inserção da economia nacional no comércio internacional e no reforço da capacidade dos quadros nacionais, disse o secretário de Estado do Comércio, Amadeu Leitão Nunes.
Amadeu Leitão Nunes, que falava na palestra sobre “Acompanhamento da revisão da política comercial de Angola”, considerou que a aprovação da nova Lei do Investimento Privado, Lei da Concorrência e Contratação Pública e da transferência de competências e atribuições, antes ministeriais, para a alçada da governação local, são passos importantes para o cumprimento das recomendações feitas pela Organização Mundial do Comércio (OMC).
O Executivo lançou um vasto programa de reformas políticas, económicas e sociais, para melhorar o ambiente de negócios, simplificar e desburocratizar os procedimentos relacionados com as importações e exportações e atrair o investimento privado.
Para o governante, constituem igualmente desafios a inserção competitiva de Angola no contexto mundial e africano, o que representa uma opção estratégica do Executivo para o alargamento das relações económicas e comerciais, constituindo, simultaneamente, um objectivo do país e parte do modelo de desenvolvimento económico da estratégia até 2025.
O director de intercâmbio do Ministério do Comércio, Rui Livramento, disse que as políticas comerciais de todos os países devem ser adequadas às necessidades de desenvolvimento e, nisso, Angola procura melhorar o seu posicionamento no comércio internacional, com a adopção de novas leis comerciais, que permitem bons negócios.