A Comissão de Negociação responsável pela condução do processo de privatização de 7 unidades industriais integradas na Zona Económica Especial (ZEE) Luanda – Bengo concluiu a análise das candidaturas apresentadas pelos investidores, tendo aprovado um total de 18 candidaturas apresentadas por 09 empresas, das quais alguns apresentaram múltiplas candidaturas.
Segundo o documento que o JE teve acesso, o processo segue agora para a fase de apresentação das propostas financeiras e técnicas, cujo prazo final é 31 de Maio. Seguir-se-á a avaliação das propostas e a adjudicação das unidades aos novos proprietários. As empresas que seguem para a próxima fase do concurso são a ICC – Angola, Angoalissar, Angozara, Zeepack, Glopol, Azoria, Angocap, Ecoindustry e NobleGroup.
Esta primeira fase do processo de privatização de Unidades Industriais integradas na Zona Económica Especial Luanda – Bengo incluem as empresas UNIVITRO, JUNTEX, CARTON, ABSOR, INDUGIDET, COBERLEN e SACIANGO.
No total está prevista a privatização de um conjunto de 51 unidades, que decorre no âmbito do Despacho Presidencial 77/18, de 04 de Julho, que cria a Comissão Multissectorial Encarregue de Acompanhar e Gerir os Processos de Privatização das Unidades Industriais Instaladas na Zona
Económica Especial (ZEE) Luanda – Bengo, coordenada pelo ministro das Finanças.
De modo a assegurar o acompanhamento do processo de todas as partes interessadas, o IGAPE e a Sonangol Investimentos Industriais (SIIND), entidades responsáveis pela gestão das referidas unidades fabris, realizaram uma sessão de esclarecimento dirigida aos gestores e responsáveis pela gestão dos recursos humanos de cada uma das 51 fábricas.
De modo a contribuir para a manutenção dos postos de trabalho, foi criada uma bolsa de técnicos que permitirá que as entidades que adquirirem as referidas fábricas tenham plenamente identificados e classificados os perfis dos técnicos que beneficiaram de formação no âmbito da constituição da ZEE.
Por ourto, os termos do concurso estabelecem condições preferenciais na avaliação de propostas financeiras de investidores que optarem pela manutenção da força de trabalho.
Atendendo à especificidade do tema, as demais entidades responsáveis pela implementação do processo de privatização das fábricas reafirmam o seu empenho em manter o diálogo com investidores, funcionários, sindicatos e demais entidades interessadas no processo.