Um valor de 21 mil milhões de kwanzas foi poupado pelo Governo angolano com a implementação da ferramenta electrónica dos serviços de contratação pública entre 2018 e 2019.
Em declarações esta semana à imprensa, à margem do seminário sobre as regras de execução do OGE, o director de serviço da contratação pública, Said Fernandes, disse que até agora já foram publicados 393 planos de compras anuais de compras.
“Os planos devem ser integralmente submetidos por todas as instituições não apenas para cumprirmos o desiderato com o Fundo Monetário Internacional (FMI), mas de forma a tornar as contratações mais credíveis”, disse.

Número de acessos
Neste período, foram registados 23 mil 529 acessos, de vários pontos do mundo, com destaque para Índia, Japão, Estados Unidos, Reino Unido, Portugal e Angola.
Com esse número de acesso significa que a plataforma já tem a visibilidade necessária para ser um instrumento de compra transparente e concorrencial.
Pelo menos 605 procedimentos de contratação pública, entre procedimentos físicos e procedimentos electrónicos foram tramitados ou publicados no portal.
Por sua vez, a ministra das Finanças, Vera Daves, apelou a todas as instituições responsáveis pela contratação pública a enveredarem por práticas económicas e sociais que beneficiem o cidadão.
“O objectivo central deste encontro é definirmos mecanismos e procedimentos mais eficientes, de forma a podermos colocar os sistemas, as leis e as pessoas ao serviço de mais eficiência e de mais qualidade na despesa e que nos beneficie a todos”, sublinhou.
O valor poupado é resultado da transparência do sistema de contratação pública electrónica, onde as instituições apresentam os seus planos de compra anuais, de modo a assegurar o comprimento dos objectivos.