Um consórcio formado por um grupo angolano e um empresário português vai investir 12 milhões de dólares na instalação, na província do Cuanza Norte, de um matadouro com mais de 100 trabalhadores.
Segundo o contrato de investimento assinado pelo consórcio formado pela empresa Lusounu Internacional (90 por cento), o empresário português residente em Angola, Ivo Cruz Marques (10 por cento), e a Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP), a que a o JE teve acesso, o projecto “Matadouro Unicarnes” será instalado num prazo de um ano no município do Dondo.
No projecto consta a construção de uma unidade de abate, processamento e comercialização de gado bovino e caprino, além de armazenamento de carne refrigerada e congelada, respectiva embalagem e expedição, e também o fabrico de farinha de carne e gorduras.
Contará com 110 postos de trabalho, ocupados essencialmente por angolanos, sendo que a “alavancagem da actividade de criação de gado bovino” é um dos impactos do projecto previstos pelos investidores, no respectivo contrato, bem como o “aumento da oferta de um produto cujas importações anuais andam à volta dos 600 milhões de dólares norte-americanos”.
O consórcio promotor do investimento estima que 25 por cento da produção anual desta unidade será destinada para a exportação e 75 por cento
para o consumo interno.