António Eugénio

A sétima edição da Feira Internacional de Materiais de Construção e Obras Públicas, (Constrói -Angola) inicia nesta quinta-feira, em Luanda.

Trata-se de um espaço onde os feirantes e não só poderão encontrar distintas ofertas de serviços na área de construção, casas pré-fabricadas já equipadas, cozinhas, piscinas, e materiais de construção.

Sob o lema “A construir os sonhos dos angolanos”, o evento decorre num momento em que o país tem vastos projectos de construção que o Governo angolano se propôs executar até 2012. Na feira, mais de 400 empresas, entre nacionais e estrangeiras, vão participar da sétima edição da Constrói Angola. Em função do lema escolhido, as empresas Arena Direct e Feira Internacional de Luanda (FIL) convidaram a AINMP (Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal) para montar, num espaço de 800 m2, a Casa de Sonho Angolana.

Exibição de produtos

Será mais uma oportunidade das empresas nacionais e internacionais do ramo apresentarem os seus produtos e serviços, tendo em conta os desafios do país. Isso reforça os investimentos públicos que o Governo tem vindo a fazer para a reconstrução nacional das principais infra-estruturas, como pontes, edifícios públicos e privados, facto que levou já à criação de novas firmas ligadas ao sector de materiais de construção civil, engenharia, projectos e fiscalização de obras, empreiteiros de média dimensão e empresas de promoção e mediação imobiliária.

Portas para investidores

A Constrói Angola edição 2009 é considerado pela organização (Arena Direct e FIL) como um dos mais prestigiados eventos económicos que se efectuam em Angola por ser uma porta para o investimento directo estrangeiro no país.

Desta forma, os organizadores vão levar ao certame, um número maior de empresas de construção civil, com realce para as empresas portuguesas e brasileiras.

A organização propôs às construtoras participantes a exporem novas tecnologias de construção, inserção de novos materiais de construção no mercado com custos baixos para as empreiteiras.

Segundo o administrador da Arena Direct, Bruno Albernaz, a confirmação de maior número de empresas estrangeiras a participar no evento, confirma que Angola é um mercado em crescimento, espelhando uma realidade moderna.

Esse facto permite acima de tudo estabelecer parcerias entre empresas nacionais e estrangeiras, assim como ganhar novas tecnologias para que o mercado se torne mais eficiente e competitivo.

Presenças confirmadas

De acordo com a Arena Direct, estão já inscritas 302 empresas nacionais e estrangeiras, podendo este número crescer até antes do dia da inauguração, uma vez que as inscrições continuam abertas. Os expositores vão ocupar uma área coberta de 11 mil e 116 metros quadrados e o espaço exterior, onde se prevê que estejam perto de 300 empresas nacionais e estrangeiras. Confirmadas estão já as presenças da China (14 empresas), Brasil (18), Espanha (3), Itália (1), Alemanha (1), Africa do Sul (1) e Portugal com 124 empresas (maior participação estrangeira).

A edição 2008 da Constrói Angola contou com a presença de 253 empresas, nacionais/estrangeiras, 60 por cento das quais de direito angolano. Portugal teve a maior participação estrangeira.

Leia mais sobre a Constrói Angola na edição desta semana do Jornal de Economia & Finanças, que já está nas ruas.