A padronização da qualidade dos serviços de telecomunicações foi analisada quarta-feira, em Luanda, pelos membros da Associação dos Reguladores de Comunicações da África Austral (CRASA), no quadro das orientações da União Internacional das Telecomunicações.
O chefe de departamento de regulação de mercado e serviço universal do INACOM, Joaquim Domingos Muhongo, fez saber que na agenda estão assuntos como padronização dos critérios de aferição da qualidade de serviços, tendo em conta as características de cada país.
Segundo o responsável, alguns indicadores para aferir a qualidade dos serviços são a performance da rede, prestação de serviço ao consumidor, cobertura e facturação, que devem ser vistos de acordo com características como o relevo, fornecimento de energia eléctrica, entre outros itens que influenciam na parametrização dos serviços.
A ideia é boa, mas ainda há muito por se fazer, tendo em conta a própria dinâmica das telecomunicações, disse.