A província do Cunene acolheu ontem o fórum de oportunidades de negócios e investimentos, com vista a identificar áreas para o fomento da actividade económica na região, enquadrada na oitava edição da feira agro-pecuária, comercial e industrial, denominada “Expo-Cunene”.

O evento, que juntou empresários angolanos e namibianos, membros do governo do Cunene, visou a discussão de várias questões relativas ao reforço e incremento das trocas comerciais entre os dois países.

Na abertura do fórum, o governador do Cunene, António Didalelwa, disse que o fórum tem como análise matérias ligadas às potencialidades e possibilidade de negócios entre os dois países, identificação de possíveis parcerias e outros assuntos.

Segundo o responsável, apesar das contrariedades climáticas, como a seca e as cheias, o Cunene dispõe de grandes recursos e infra-estruturas que cada vez mais se vão consolidando no plano nacional de desenvolvimento, para atracção de investimentos.

Adiantou que este plano coloca inúmeros desafios que exigem dos governantes, empresários e todas as forças vivas um esforço acrescentado na procura de soluções adequadas para vencer as dificuldades e paulatinamente construir as bases para um crescimento económico sustentável.

Namibianos e angolanos
A representante da Câmara de Comércio e Indústria da República da Namíbia, Frieda Linda Shikangala, afirmou, em Ondjiva, que a realização da Expo-Cunene permite a interacção e o reforço das parcerias entres os dois países em vários domínios.
A responsável, que falava à Angop, à margem da abertura da 8ª edição da Expo-Cunene, considerou o evento uma grande oportunidade para a criação de parcerias privadas entre os agentes económicos dos dois países.

A exposição possibilita com que os empresários criem oportunidades para o relançamento da cooperação económica, vantagens recíprocas e divulguem as potencialidades de negócios e possíveis parcerias.

Frienda Shikangala salientou que Angola e a Namíbia são dois “países irmãos” que lutam pela redução da pobreza dos seus povos, tendo considerando que iniciativas empresariais ocupam um espaço importante, por serem a base da criação de mais postos de trabalho.