SOLANGE DA SILVA

A Damazé, uma empresa especializada em pedras ornamentais naturais, investiu mais de USD nove milhões na construção de uma nova fábrica, cujas obras deverão ser concluídas ainda este ano, segundo anunciou ao JE o seu director comercial, Rui Rodrigues.

O empreendimento está localizado ao Km 25, em Viana, na estrada nacional que liga Luanda a Catete. A unidade fabril vai contemplar as instalações da sede da empresa e toda a estrutura de transformação de pedra.

A empresa, que opera no mercado nacional desde 1997, é uma parceria entre angolanos e portugueses, sendo estes últimos maioritários.

“O emprego de rochas ornamentais como material de revestimento, principalmente na construção civil, tem avançado bastante no nosso país, principalmente em fachadas de edifícios públicos, comerciais e residenciais”, frisou o director.

A empresa dispõe igualmente de uma vasta equipa de profissionais, desde desenhadores a acabadores manuais. A fábrica tem disponível um vasto stock dos melhores materiais nacionais e internacionais, estes originários da Itália, Espanha Portugal e Brasil, com destaque para a pedra calcária, granitos, mármores e ardósias.

“Na nova fábrica, colocaremos a mais recente tecnologia utilizada na transformação da pedra. Temos máquinas de corte e polimento semi-automáticas, máquinas de envelhecimento de pedra e uma máquina CNC, que é capaz de transformar uma pedra em bruto em qualquer objecto à sua escolha. Falamos da mais recente tecnologia na indústria da pedra”, disse o gestor.

As obras a serem executadas estão enquadradas no âmbito do projecto de se estabilizar a presença da empresa no mercado nacional, com a previsão da expansão do negócio para as demais províncias.

Neste âmbito, e para apresentar as novas propostas da empresa no mercado nacional, o director assegurou que ela está em Angola para marcar a diferença em relação às empresas concorrentes, porquanto aposta na oferta de produtos de alta qualidade e que sirvam um público bastante exigente.

Rui Rodrigues garantiu também que a presença da Damazé no país resulta de um estudo de mercado efectuado pela empresa, e que os indicadores apontam para bons negócios diante das oportunidades que o país oferece.

Damazé produz granitos, calcários, revestimento de paredes de entrada, bancadas de cozinhas, balcões, pavimentos, revestimentos de paredes, colunas, varandas, pórticos, churrasqueiras, bancos, vasos, campas e jazigos, entre outros artigos.

O responsável disse ainda que a estratégia é de se aproveitar o crescimento da população e de empresas. Como futura aposta, Rui Rodrigues anuncia o segmente de caixilharia e alumínios.

“Vendemos os materiais e também entregamos a obra acabada já que dispomos de oficina e fábrica. Vamos também com os nossos produtos procurar ganhar a preferência dos clientes angolanos” disse.

A Damazé conta com 50 trabalhadores, tem toda a sua linha de pedras ornamentais, caixilharia em alumínios e tem artigos de decoração do lar, tais como fontanários, repuxos, balaústres e artefactos de cimento.

Leia mais sobre outros assuntos na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação