O director do gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística do Ministério da Indústria, José Gonçalves, anunciou hoje, quarta-feira, no Huambo, a construção de 19 unidades fabris nesta região, nos próximos quatro anos.

De acordo com José Gonçalves, a construção das fábricas insere-se no plano executivo do ministério, que tem por finalidade relançar o parque industrial no país.

No âmbito do programa, serão construídas fábricas de processamento e transformação de horto-frutícolas, de chocolates, bolachas e biscoitos, vidro, arame farpado e malhasol, tintas e vernizes, rações para animais e de lâmpadas florescentes.

A província terá também um centro de britagem, de cerâmica de barro vermelho e fábricas de aglomerados de madeira, de colchões e molas, calçados de couro, napas e serrados, assim como uma linha de montagem de rádios e televisores.

O plano contempla a construção de uma carpintaria e serração de madeira, uma gráfica, uma moajeira de milho e uma recauchutagem de pneus.

A província do Huambo era considerada, até 1991, o segundo maior parque industrial de Angola depois de Luanda.