Mais de 60 mil milhões de kwanzas é o valor da dívida acumulada pelos clientes da Empresa Pública de Águas de Luanda, EPAL - EP, na província de Luanda, de 2015 até o primeiro semestre de 2018, disse o director comercial, Ângelo Filipe.
Segundo a Angop, o responsável precisou que 50 por cento dos devedores são moradores dos distritos urbanos da Ingombota, Maianga, Neves Bendinha, Ngola Kiluanje, Samba, Sambizanga, e Rangel, áreas que compõem o município de Luanda e outros nas restantes zonas da província.
Falando ao grupo de jornalistas do projecto jornalístico grande reportagem “Andar Luanda”, que visitou a Estação de Tratamento de Água “ETA” - Luanda Sul, precisou que no intuito de se recuperar o dinheiro foi gizada uma campanha, onde está a ser privilegiado o diálogo.
Acrescentou que estão a ser entregues facturas de cobranças, bem como a proceder cortes, tendo dado a conhecer que a campanha teve início no dia três de Outubro e vai até 15 de Dezembro próximo.
Referiu que a campanha está a surtir o efeito desejado, salientando que a EPAL - EP tinha se distanciado dos clientes.
Explicou que o retorno da aproximação aos clientes e a cobrança imediata (pagamento na hora), despertou os consumidores, tendo confirmado que a campanha tem adesão.

Satisfação dos clientes
Questionado sobre a situação técnica da empresa para o atendimento aos consumidores no período festivo (Natal e Ano Novo), sublinhou ser obrigação da EPAL prestar um bom serviço para a satisfação dos clientes.
Garantiu que no mês de Dezembro será reforçada a capacidade de distribuição de água para de alguma forma não defraudar os clientes.
A Eta - Luanda Sul atende os munícipes dos bairros Talatona, Nova Vida, Vila Chinesa (Projecto Morar), quilómetros 9A e 12A.
Com uma população estimada em mais de seis milhões de habitantes fazem parte desta província os municípios de Luanda, Cazenga, Cacuaco, Viana, Belas, Icolo e Bengo e Quiçama.