Quarenta e quatro em cada 100 habitantes em Angola usam telemóveis, enquanto um cada cem possui telefone fixo em casa, informou nesta terça-feira à Angop o director do Instituto Nacional das Comunicações (Inacom), Domingos Pedro António.

De acordo com o titular do Inacom, que falava em entrevista à Angop, a actual percentagem de teledensidade móvel é referente ao primeiro trimestre deste ano, podendo aumentar até Dezembro, se se ter em conta os dados dos anos anteriores, isto é, desde 2002 altura da quebra do monopólio da Angola Telecom na rede de telefonia móvel.

Com a concorrência, iniciada em 2002, o número de usuários tem aumentado com muita frequência, sendo o ano 2007 o período em que a teledensidade mais cresceu atingindo 32 porcento contra os 19,5 de 2001, chegando a uma diferença de 12,5%.

Estabelecendo a relação entre a teledensidade nas duas redes (móvel e fixa) no país, Domingos António, referiu que a primeira tem tido um crescimento muito acelerado, tendo em conta a entrada da segunda operadora Unitel no mercado angolano, ao passo que a fixa, embora estejam licenciadas pelo menos seis operadoras, tem baixa adesão.

O director do Inacom justificou que o aumento do número de assinantes nos serviços de telefonia móvel comparativamente à rede fixa tem a ver com características próprias da cada linha.

Informou ainda que a cobertura telefónica tem uma taxa baixa nas províncias da Lunda Norte e Sul, Moxico, Kuando Kubango, Uíge e Malanje em relação às restantes 12 províncias do país.

O Inacom é o organismo público responsável pela regulamentação e monitorização da actividade de prestação de serviços de telecomunicações, e também de postais e tecnologias de informação, do ponto de vista técnico.

A instituição regula também, do ponto de vista técnico, os operadores de rádio e televisão, no âmbito das novas funções do Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, do qual o Inacom é tutelado.