O embaixador Florêncio de Almeida reconheceu, segunda-feira, em Roma, que a evolução da conjuntura política e económica na Itália e em Angola proporcionou o relançamento de uma cooperação mais dinâmica entre os dois países O diplomata angolano fez esta apreciação durante o cocktail de despedida como embaixador de Angola na Itália, Malta e San Marino, e representante permanente junto das agências das Nações Unidas sediadas em Roma (FAO, FIDA e PAM). Na ocasião, o embaixador observou que “a evolução da conjuntura política e económica, tanto na Itália, como em Angola, criou pontos de convergência propícios ao relançamento de uma cooperação mais dinâmica, com foco no sector económico, trocas de visitas ministeriais e ao mais alto nível”. Disse que a dinâmica da cooperação empresarial bilateral, nos domínios energético, agro-alimentar, de infra-estruturas e da defesa, dentre outros, permitem constatar, hoje, que Angola perfila-se como terceiro maior parceiro económico da Itália na África subsaariana. Em jeito de balanço, o diplomata realçou que o período entre 2012 e 2019 foi caracterizado por intensa actividade diplomática, destacando a primeira visita de um estadista italiano a Angola, efectuada em Fevereiro do corrente ano pelo Presidente Sergio Mattarella. Florêncio da Almeida, agora embaixador de Angola no Brasil, despediu-se já do ministro dos Negócios Estrangeiros.