Empreendedores dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) defenderam esta semana, em Luanda, a necessidade de se intensificar as trocas comerciais, aumentar as áreas de negócio, gerar riquezas e criar mais postos de trabalho nos respectivos países.

Reunidos no seu terceiro congresso, o evento serviu também para abordar as possíveis barreiras e entraves ao estabelecimento de parcerias, imposição fiscal, concessão de vistos, funcionamento dos sistemas bancários, rotulagem dos produtos e selecção do mercado alvo.

O fórum teve ainda como objectivo a realização de negócios, o desenvolvimento e contou com a participação de 200 empresários de Angola, Brasil, Portugal, Cabo-Verde, que actuam nos sectores de hotelaria, agro-pecuária, construção civil, transportes, companhias aéreas e trasnportes marítimos.     

Durante quatro dias, os congressistas discutiram temas como: empreender na formação e educação, empreender nas pessoas, economia social e solidária, financiamento e micro-crédito.

O secretário de Estado da Juventude, Nhanga  de Assunção,  frisou no acto de abertura, que o encontro se enquadra no objectivo do Executivo angolano alicerçado Plano Nacional de Desenvolvimento que motivou a criação de vários programas do combate à pobreza no seio da juventude, como são os casos do Programa Nacional de Emprego e Formação profissional, Programa Nacional das Micro, Pequenas e Médias Empresas, “Angola Investe”, Promoção do empreendedorismo, facilitação do acesso ao crédito Jovem e apoios a actividades económicas emergentes.

O dirigente apontou que o seu Ministério vai dinamizar e implementar as mais variadas acções e os objectivos que norteiam o plano de apoio à juventude no quadro do empreendorismo e do emprego consubstanciado na promoção juvenil, por meio do acesso ao programa de micro, pequenas e médias empresas.

O apoio aos jovens criadores de artes e fazedores de opinião faz parte do programa. O Executivo reforça ainda o apoio e intercâmbio entre todos os países da CPLP que proporcione parcerias estratégicas.

Participantes
O secretário de Estado da Juventude felicitou a Liga dos Jovens Empresários e Executivos de Angola (PRESTÍGIO) pela organização do congresso.

“É importante felicitar a “Prestígio” pela criação de espaços dessa natureza, voltados ao reforço das sinergias e parcerias sustentáveis na classe empresarial lusófona, que concorram para o crescimento e desenvolvimento socioeconómico dos nossos países”, sublinhou Nhanga de Assunção.

A pertinência deste congresso, argumentou, responde efectivamente à imperatividade da participação activa da juventude em todos os processos de desenvolvimento dos países desta organização, bem como consolida a concertação e integração política, económica, social e cultural dos países da CPLP.

 Nhanga de Assunção admitiu que muito ainda tem que se fazer para o aumento substancial da qualidade de vida da juventude angolana.

O congresso foi promovido pela “Prestígio”, Liga dos Jovens Empresários e Executivos de Angola que tem como objectivo defender os interesses dos jovens empresários.