O representante da Associação Agro-Pecuária, Comercial e Industrial do Lubango (AAPCIL), Gabriel Lucas, reafirmou recentemente, no município de Caluquembe (Huíla), a predisposição da comunidade empresarial em trabalhar mais no fomento do desenvolvimento económico e social da região.

Ao falar à Angop à margem da 6ª edição da Expo/Caluquembe, o interlocutor disse estar-se a trabalhar no sentido de se transformar o evento num meio de divulgação da produção nacional e despertar o interesse da comunidade empresarial, dos grandes investidores e empreendedores, jovens emergentes, camponeses e negociantes.

No seu entender, a exposição serve para apresentar à comunidade empresarial o potencial da terra arável desta parcela da província da Huíla, onde também existem recursos naturais para a prática de actividades como agropecuária, indústria, comércio e prestação de serviços.

O responsável reconheceu a existência de constrangimentos, sobretudo no capítulo financeiro, mas garantiu estarem a trabalhar no sentido de se encontrar mecanismos susceptíveis de elevar e diversificar a produção do município.

A fonte, por outro lado, disse esperar mais esforços da administração municipal na implementação de projectos destinados ao desenvolvimento do município, sobretudo no domínio produtivo e em todos os sectores da vida local capazes de facilitar a resolução gradual dos problemas dos cidadãos.

“A 6ª edição da Expo/Caluquembe realiza-se numa altura em que o município regista avanços significativos, numa perspectiva futurista, para o bem dos associados ansiosos por realizações e satisfação nas actividades económicas a favor da população”, considerou o entrevistado.

Com uma superfície de 240 quilómetros quadrados, o município de Caluquembe tem uma população estimada em 359 mil e 11 habitantes.

Empenho reconhecido
O administrador municipal de Caluquembe, José Arão Tchissonde, reconheceu o empenho do empresariado e produtores locais em contribuir para o desenvolvimento socioeconómico, ajudando o Governo no processo de resolução das principais necessidades da população.

Ao falar à Angop à margem da realização da Expo/Caluquembe, o gestor do município considerou a demonstração da vontade e empenho dos associados e cooperativistas da localidade em contribuírem para a elevação da economia do município, razão pela qual a administração se compromete em ajudar actividades em prol do seu desenvolvimento.

Em seu entendimento, o Governo tem feito a sua parte, mas não existe nenhum Governo capaz de resolver sozinho os problemas sociais, económicos e de desenvolvimento do seu país e da população, estabelecendo parcerias para estimular o empresariado privado a assumir as suas responsabilidades neste domínio.

Agro-pecuária
De acordo com o gestor, as cooperativas de Caluquembe têm várias características e fins, como a agro-pecuárias, empresariais e habitacionais, entre outras, cuja finalidade é dispare, mas com objectivos comuns, consubstanciado na participação no desenvolvimento do município e melhor oferta de serviços à população.

“Por este motivo incentiva-se a juventude ao associativismo, cooperativismo e ao espírito organizativo no sentido de unirem forças para melhor distribuir e dar maiores apoios, quer sejam relativas ao emprego, habitação, quer à formação profissional, aspectos agendados pela administração”, asseverou a fonte.

O administrador reconheceu o facto de os “filhos” do município empenharem-se para elevação do seu nome, pois os empreendedores estão de mãos dadas com o Governo na prossecução e realização de acções destinadas à satisfação das aspirações da população.