Cerca de 650 milhões de dólares é o valor que as empresas angolanas mobilizaram, para beneficiar nos próximos tempos, fruto do intercâmbio comercial e os acordos assinados na primeira edição da Feira Comercial Intra-africana (IATF 2018).
Este valor, segundo a Angop, será disponibilizado pelo Banco Africano de Exportações e Importações (Afreximbank), será destinado à empresa Aenergy (usd 400 milhões), Associação Nacional dos Industriais e Madeireiros de Angola (ANIMA), 200 milhões, e a Federação de Mulheres Empreendedoras de Angola (FMEA), 50 milhões.
A mobilização deste dinheiro, que será aplicado em diversas áreas da actividade económica nacional, resulta dos projectos apresentados pelas respectivas empresas, na feira comercial intra-Africana.
Ganhos
As empresas angolanas também estabeleceram contactos de parceria e instalações de empresas em países africanos com vantagens mútuas.
A empresa Bruno Miguel Pegado (BMP), especializada na montagem de viaturas ligeiras e pesadas, estabeleceu mais de 40 contactos para negócios directos e cerca de 27 intenções de parceria com empresas de vários países, segundo o gestor desta empresa, Bruno Miguel Pegado.
A interacção com outras empresas foi positiva, porque a maior parte dos empresários mostrou interesse em estabelecer as trocas comerciais entre os países, principalmente quando começar a vigorar a Zona Livre de Comércio Continental Africana.
A empresa BMP, presente no mercado angolano há dez anos e com um investimento avaliado em 33 milhões de dólares, prevê a partir do próximo ano construir uma linha de montagem de automóveis, no município do Wacu Kungo, província do Cuanza Sul.
Para a técnica de informática da empresa Miracel – Meu Kamba, Margarida José, durante os oito dias de feira foi possível interagir com muitas empresas africanas como Gana, Uganda e Egipto, que solicitaram a troca de serviços e obtenção de equipamentos da empresa angolana.
Mais-valia
A participação de Angola na IATF 2018 vai permitir dar maior visibilidade às empresas angolanas, bem como ter uma visão actual e futura do que o país pretende ser nos próximos tempos, afirmou o ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto, no Cairo (Egipto), no final de uma visita ao pavilhão de Angola.
O governante afirmou que a exposição das empresas angolanas na feira despertou o interesse de potenciais investidores e parceiros em diversos sectores da economia nacional.