Cerca de 90 empresas das quais 70 nacionais e 20 estrangeiras, participam de hoje, até Domingo da terceira edição da Feira Internacional de Tecnologias Ambientais, numa iniciativa do Ministério do Ambiente, em pareceria com a Feira Internacional de Luanda (FIL).

Com este evento a organização sublinhou que o país irá tornar-se em Maio e Junho no ponto de encontro dos mais prestigiados profissionais na área das tecnologias ambientais. Além de Angola estarão presentes países como Portugal, Brasil, China, África do Sul, Nigéria, Espanha, França e Alemanha.

Sob o lema "Promoção das tecnologias ambientais na gestão de resíduos sólidos, liquido e gasoso", o certame visa de igual modo, expandir o acesso de energia limpa a preços acessíveis como suporte da realização dos objectivo de desenvolvimento do milénio e do desenvolvimento sustentável.

O Ministério do Ambiente, no quadro da formulação das suas políticas, desenvolveu a promoção das novas tecnologias nos mais variados sectores da vida económica do país, através do plano estratégico das tecnologias ambientais que tem como objectivo a promoção das tecnologias ambientais ao nível nacional.

Presença

Segundo a gestora da feira, Isabel Jacinto em entrevista ao JE, Angola estará representado com as  províncias de Luanda, Lunda Sul, Bengo , Huambo, Benguela, Zaire.

Por outro lado, destacou que os sectores do Urbanismo e Construção, Agricultura e Floresta, Industria, Energia e Transporte terão participação específica na terceira edição da feira do ambiente.  

Além disso, disse que durante o evento estarão expostos matérias relacionados com a construção civil,   minas, petróleo, energia renovável, e gestão de residuais e reciclagem.

A responsável ressaltou ainda que durante o evento estarão expostos matérias relacionados com a construção civil,   minas, petróleo, energia renovável, e gestão de residuais e reciclagem.

O encontro vai contar com inúmeras as actividades, com destaque para lançamentos de novos projectos, conferências, palestras sobre diversos temas ligados a problemática do ambiente e sua preservação.

Atlântico

O Atlântico, no âmbito da sua contribuição para o desenvolvimento sustentável em Angola, também está presente no evento.

O Presidente do Conselho de Administração do da empresa, Carlos Silva, refere que Angola detém de enormes desafios neste sector, acrescentando que é intenção do grupo em parceria com as empresas que actuam neste segmento contribuir para a concretização desses desafios.

A empresa ligada ao sector bancário, foi um dos impulsionadores da requalificação da Baia de Luanda, uma área de espaços verdes inaugurada o ano passado.

Num comunicado à que tivemos acesso, a sua presença na feira visa marcar a posição da firma em acções que contribuam para o desenvolvimento voltas as questões ambientais, assim como a consagração de uma nova era das tecnologias verdes no país.

Siemens

A Siemens é outra empresa que também actua no ramo ambiental nas áreas de energias renováveis e tecnologias ambientais. Segundo Jorge Tropa, um dos responsáveis da empresa em Angola a firma vai continuar a investir em energias eólicas, tratamento de água, controlo da poluição do ar entre outros aspectos.

A empresa dispõe de soluções para a produção de energia renovável, produção de energia fóssil, tecnologias para indústrias, saúde, transportes e outros.