A actividade artesanal já possibilitou a entrega de 433 senhas e a criação de aproximadamente três mil postos de trabalho.

A Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama) vai, no primeiro semestre de 2013, prevê arrancar com a mina aluvionar do Calonda (Lunda-Norte) e com o primeiro aluvião a ser explorado na Lunda-Sul, a mina do Tchege.

A diamantífera angolana vai colocar em funcionamento a exploração aluvionar do Maua, primeira a funcionar na província de Malanje, enquanto para a mina do Uari se prevê o recomeço da sua actividade na mesma altura.

Por outro lado, a Endiama, em cooperação com a empresa russa Alrosa, está a realizar trabalhos de investigação geológico-mineira para a criação do mapa geofísico e mineralógico das áreas diamantíferas de Angola.

Neste sentido, o trabalho está em fase adiantada e, quando for concluída, a diamantífera estará em condições de saber as características e qualidades dos diamantes que vieram de kimberlitos desconhecidos.

Exploração artesanal

Em relação à exploração artesanal de diamantes, o programa vai entrar na segunda fase, cadastrando novas áreas de concessão, estendendo a exploração às províncias de Malanje, Moxico, Bié e Uíje.

De referir que o projecto já possibilitou a entrega de 433 senhas mineiras e a criação de aproximadamente três mil postos de trabalho.

No ano em que a Endiama assinala o centenário da descoberta do diamante em Angola (2012), o subsector, fruto da estratégia do Executivo, conseguiu estabilizar o preço do diamante angolano, o que permitiu atrair um número considerável de investidores.

Fruto disso, continuou, em 2012, registou-se a assinatura de 10 contratos de prospecção para jazigos primários e secundários, aumentando desta forma para 43 o número de projectos nesta fase, ao mesmo tempo que foram concluídos os trabalhos de prospecção sobre os kimberlitos Chiri e Tchiuzo na Lunda-Norte e Lunda-Sul, respectivamente.

Responsabilidade social

A empresa prevê ainda para este ano a inauguração do hotel Diamante, em Luanda, e a conclusão da construção de 200 apartamentos que estão a ser erguidos em Viana, enquanto começará em Saurimo concluir o processo da entrega das primeiras 150 casas aos trabalhadores.

Leia mais sobre outras notícias na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação