A Empresa Nacional de Diamantes (Endiama) está a trabalhar com o Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), de modo a assegurar a reforma de cerca de dois mil ex-trabalhadores afectos aos projectos RST e Luzamba.
Os referidos trabalhadores realizaram segunda-feira uma manifestação em frente às instalações da Endiama, exigindo maior celeridade no processo de reforma, que já foi desencadeado pelo actual Conselho de Administração junto do INSS.
Numa nota de imprensa da Endiama chegada à nossa Redacção, para o efeito, a empresa entregou ao INSS uma lista para que se proceda ao cálculo total do valor de contribuições a pagar, o que permitirá posteriormente que os ex-funcionários beneficiem das suas
pensões de reforma.
O protesto prende-se com um diferendo que cerca de dois mil ex-trabalhadores têm com a Empresa Nacional de Diamantes de
Angola e dura há 27 anos.
Os referidos trabalhadores, de acordo com uma nota de imprensa da Endiama que o JE teve acesso, após recebimento das devidas indemnizações de usd de dois mil e 100 em 2005 e 500 mil kwanzas em 2014.
Para o efeito, a Endiama entregou ao INSS uma lista para que se proceda ao cálculo total do valor de contribuições a pagar, o que permitirá posteriormente que os ex-funcionários beneficiem das suas pensões de reforma.
Na nota, a Endiama informa que o próximo encontro entre o Conselho de Administração da empresa e os ex-funcionários acontecerá no mês de Maio do corrente ano.