Jovens e mulheres empreendedoras, e antigos combatentes da província da Lunda Sul vão beneficiar de áreas para exploração de diamantes em cooperativas, revelou sábado, na comuna do Mona Quimbundo, município de Saurimo, o presidente do Conselho de Administração da Endiama EP, Carlos Sumbula.
Falando à Angop, no final da visita efectuada ao projecto de piscicultura, localizada na comuna do Mona Quimbundo, município de Saurimo, financiado pela Sociedade Mineira de Catoca, no âmbito da parceria com o governo da Lunda Sul, Carlos Sumbula disse que, para o êxito do projecto, foram identificadas as referidas áreas.
O PCA da Endiama disse por outro lado que, além das cooperativas que funcionam na região, esta iniciativa irá criar mais emprego para a juventude, assim como impulsionar o trabalho das mulheres e melhorar as condições sociais dos antigos combatentes.
Precisou que as cooperativas têm ajudado no combate à emigração ilegal, atendendo a extensa fronteira que Angola partilha com a República Democrática do Congo.
Revelou que, na província da Lunda Norte, no âmbito do projecto de criação de cooperativas para exploração artesanal de diamantes, cinco mil jovens estão inseridos, dos quais 700 antigos combatentes, o que contribuiu significativamente na redução da pobreza de muitas famílias.
O projecto, criado na base de um protocolo de cooperação para o programa de extensão rural de desenvolvimento comunitário, da agricultura e de piscicultura, celebrado entre o governo provincial e a sociedade mineira de “Catoca”, surge no quadro da estratégia do Governo de Angola de combate à fome e à pobreza.
O mesmo começou a ser implementado, com a produção de cinco mil alevinos que vieram da República da Zâmbia em 2012, que foram multiplicando até atingir um nível na produção da referida espécie.