O ministro de Estado e Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Frederico Cardoso, reconheceu, ontem, em Luanda, que, apesar dos 16 anos de existência formal do Sistema Nacional de Qualidade (SAQ), o país não tem tirado suficiente proveito das eventuais vantagens que advêm da normalização e da qualidade para o desenvolvimento económico e social.
Ao proceder à abertura do Workshop para recolha de proposta para aPolítica Nacional da Qualidade, o ministro de Estado citou a elevada burocracia no funcionamento, a pouca articulação entre os seus distintos intervenientes, aliada a ausência de uma política nacional da qualidade, enquanto base programático do referido sistema, como os factores que impedem o funcionamento pleno deste segmento.
O evento promovido pelo Ministério da Indústria teve o apoio institucional da Presidência da República e contou na abertura com a presença da ministra da tutela, Bernarda Martins, e secretários de alguns departamentos ministeriais do Executivo angolano.