A Angola Telecom tem as suas acções e os vários projectos em curso alinhados às estratégias definidas pelo Governo, através do órgão de tutela.
A questão de ter os serviços de banda larga, passa dos objectivos do Governo, no quadro do programa de Inclusão Digital.
Sobre a internet livre nos centros urbanos, Lino Inocêncio esclareceu que, é um projecto do Ministério das Telecomunicações e Tecnologia de Informação, onde a Angola Telecom participa.
Informou que a nível da província da Huíla, a Angola Telecom tem capacidade para contribuir no êxito desta acção. No quadro do projecto de disponibilizar o serviço de internet livre, localmente, já se estava a desenhar o programa com a Administração Municipal da Humpata, porque com a internet, os clientes podem prestar serviços
com maior qualidade.
Hoje num clique as pessoas conversam com os clientes e promovem uma vídeo-conferência, vêem equipamentos que estão lá fora e mandam vir, através das empresas de correio.
Por isso, vários negócios estão a surgir com base na disponibilidade dos serviços que têm a internet como ferramenta fundamental no processo de gestão e operacionalização, reconheceu o gestor, para dizer que, “actualmente, a economia já é uma aldeia global e as fronteiras a nível da economia foram todas retiradas”.
Acrescentou que o empresário ou qualquer indivíduo que está fora do país, por causa da internet, a mensagem passa. “Os empresários devem conectar-se ao serviço da internet de modo a acompanharem o processo da própria concorrência a nível da internet”, disse.