A 25ª edição da Expo Huíla realiza-se de 9 a 13 de Agosto sob o lema “Diversificação da economia e importação à indústria nacional”, numa organização da Associação Agro-pecuária, Comercial e Industrial da Huíla (AAPCIL), inserida nas tradicionais festas da Nossa Senhora do Monte, na cidade do Lubango.
O presidente da AAPCIL, Paulo Gaspar, disse que para participação no certame concederam a abertura à expositores nacionais e estrangeiros, mais “o grande foco continua a ser a produção nacional”.
“A feira será dedicada à produção nacional até porque este tipo de exposição é exactamente virada para o que já se produz em Angola, com que se pode contar e essa é a grande aposta da AAPCIL de motivar as empresas angolanas que já produzem alguma
coisa”, disse o presidente.
Paulo Gaspar, convidou os angolanos e não só , a visitarem a “Expo Huíla “ considerada como a maior feira em Angola fora de Luanda e a mais antiga que este ano vai celebrar as suas bodas de prata. “Isto faz com este ano o certame seja mais apreciável por parte dos empresários porque de facto é uma exposição que tem tradição, honra e gloria”, considerou.
Confirmou que estarão presentes empresas da região sul de Angola, tais como Huíla, Namibe Cunene e Cuando Cubango, tidas como prioritárias, mas também espera-se que estejam representantes de todo país com destaque para as províncias de Luanda,
Benguela e Huambo.
Informou que nos últimos dez anos, com a crise, os investidores e os empresários internacionais fizeram uma contracção de custos, por isso não estiveram nas duas últimas edições, mas este ano voltaram em força “e poderemos ter um número significativo”. Assegurou que têm a confirmação da Polónia que de princípio vem com 14 empresas, assim como existe o sinal de empresários portugueses, italianos, sul africanos e namibianos.
“As empresas internacionais trarão produtos do ramo agrícola, industrial e comércio geral. São quase todos os sectores que estarão representados neste certame.
No caso da Polónia, por exemplo, trará produtos do ramo leiteiro e agrícola, máquinas para este sector e será muto diversificado porque são várias empresas e cada um no seu ramo de actividade”,
explicou o presidente da AAPCIL.
Disse que na presente edição da “Expo Huíla”, que estima-se estarem entre 150 a 200 empresas presentes, haverá como é óbvio a troca de experiências entre empresários, bem como serão desenvolvidas algumas palestras durante o período que envolverá a presença da AGT “para
voltarmos a falar de impostos”.
De referir que o espaço útil da “Expo Huíla” comporta cerca de 250 lugares e é uma estrutura que não dá para alargar, neste momento, tem quase a lotação total do recinto. “As inscrições encerraram no dia 30. Continuamos a ter procura, e neste momento cerca de 90 por cento do recinto totalmente ocupado por empresas expositoras mas há sempre aquela desistência de última hora porque é prematuro divulgar o número exacto, pois, também há muitas empresas que são tradicionais que já marcaram o seu lugar mas ainda não confirmaram a
sua participação”, aflorou.