A 10ª edição da Expo-Uíge abriu ontem, quinta-feira, tendo como novidade a feira do café, mandioca, banana e amendoim (ginguba, potencialidades da região).
Segundo a Angop, com uma participação de cerca de 300 expositores, dos quais cinco representações estrangeiras, nomeadamente da RDCongo, Ghana, Uganda, Namibia e Congo, a feira contará ainda com a participação das provincias de Cabinda, Malanje, Cuanza Norte, Huíla e Cunene.
A jornada em saudação a data, a decorrer sob o lema “ Uíge 102 anos, unidos rumo ao desenvolvimento sustentável”, compreende ainda a realização de vários outros eventos, entre os quais a Expo-Uíge 2019, mesa redonda sobre as “ Potencialidades económicas da província, uma oportunidade para o investimento”, exposição de produtos agro-pecuários locais e feira de gastronomia.

Agências bancárias escassas
O governador, Pinda Simão, exortou, esta semana, no Uíge, os empresários da rede bancária nacional a instalarem mais agências na província, atendendo a carência que enfrenta e dificulta a vida das comunidades em potenciar a vida económica local.
O governante manifestou a preocupação no município de Ambuila, onde esteve a inteirar-se das principais dificuldades e constatar a implementação das obras públicas em curso, das quais muitas infra-estruturas sociais encontram-se paralisadas há mais de quatros anos por falta de recursos financeiros.
Entretanto, disse que a abertura de uma agência em Ambuila e noutros municípios ajudaria a melhorar a agricultura familiar e a intervenção dos camponeses potenciados com tractores e, desta forma, poderiam igualmente obter mais recursos, desenvolver o Uíge e o próprio país para melhoria da vida das pessoas.
“As agências bancárias dão emprego e são um instrumento de apoio ao desenvolvimento e para potenciar a economia”, disse.

Aipex recebe 62 propostas

A Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX) recebeu, nos primeiros cinco meses deste ano, 62 propostas de investimento, contra as 71 registadas em 2018.
Segundo a Angop, citando o semanário o “Mercado”, entre Agosto de 2018 e Maio deste ano, a Aipex recebeu 133 propostas de investimentos privados, avaliadas em 823 milhões de dólares.
Desse total, 29 propostas já foram implementadas, segundo a publicação, e criaram 1.690 postos de trabalho. No geral, poderão ser criados 8.645 empregos para cidadãos nacionais e 661 para expatriados.
Os projectos foram instalados, maioritariamente, nas províncias de Luanda, Bengo, Benguela e Malanje.
O jornal justifica o aumento com a entrada em vigor, em 26 de Junho de 2018, da nova Lei do Investimento Privado, que, entre outros, baniu a obrigatoriedade de os investidores estrangeiros terem sócios angolanos.
As propostas de investimento são originárias de 21 países, além de outras nacionais e provenientes de diferentes instituições, entre bancos e fundos de investimento.