Em declarações a imprensa, o administrador comercial da empresa encarregue da organização do evento, Carlos Santos Calas disse que os preparativos decorrem sem sobressaltos e estão criadas 90 por cento das condições para realização do evento, no qual participarão expositores nacionais e estrangeiros.
Disse estar em montagem um pavilhão de mil e 200 metros quadrados, cujos materiais já se encontram no local da feira, que contará com expositores das áreas da agro-pecuária, indústria, agricultura, pesca, comércio, tecnologia, geologia e minas, banca e outras.
Das empresas já inscritas, constam 50 nacionais, enquanto as demais deverão representar a China, Portugal, Itália, Namíbia, África do Sul, Moçambique, Zâmbia e Turquia que já confirmaram a presença na exposição.
Após a montagem do pavilhão, referiu, deverão seguir-se os trabalhos de climatização e instalação dos stands que começam a acolher os expositores a partir do próximo dia 18, para participação no evento que decorrerá de 25 a 28 do mês corrente.
A par das vantagens de promoção de negócios em vários domínios, Carlos Santos Calas disse que a primeira Feira Internacional do Cuanza Norte vai garantir também a criação de mais de 100 postos de trabalho temporários, sobretudo para jovens, a serem contratados pela empresa organizadora e pelos expositores.
Disse que a empresa organizadora encontra-se empenhada na adopção de estratégias para que o evento seja realizado com periodicidade anual à luz de um convénio assinado com o governo provincial.
A exposição realiza-se no quadro das comemorações das festas da cidade de Ndalatando (capital da província), a assinalar-se a 25 de Maio.
Cuanza Norte é uma província situada a 190 quilómetros a Noroeste de Luanda (capital do país). A mesma compreende 10 municípios e 31 comunas.