A petrolífera ExxonMobil Angola vai investir este ano 2,5 milhões de dólares (Kz 510 milhões) no desenvolvimento de projectos comunitários. Os fundos destinam-se ao combate à malária, construção de infra-estruturas, promoção de desenvolvimento económico das mulheres e no apoio aos esforços para a conservação das espécies animais.
O compromisso da empresa relativamente a estes programas ajuda a promover mudanças positivas nas comunidades, segundo o recém-nomeado director-geral da Exxo em Angola, Andre Kostelink, realçando que este ano vai dar continuidade e apoiar os projectos na comunidade.
O valor alocado vai beneficiariar ONG como Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), Africare, grupo Core, a Usaid, Fundação Kissama e outras.
A ExxonMobil constitui um dos maiores contribuintes do sector privado na luta contra a malária. Desde 2003, já investiu mais de 30 milhões de dólares (Kz 6,1 mil milhões) em programas para erradicar a doença, avançou o gestor.
Pesquisas demonstram que quando as mulheres são economicamente empoderadas, as comunidades e as nações só têm benefícios. Através da sua parceria com a ADPP e a KicStart, a ExxonMobil, as mulheres agricultoras criam cooperativas para ajudá-las a passarem do cultivo de subsistência para a produção desenvolvida.

Infra-estruturas de ensino
A petrolífera através da colaboração com a Rise Internacional e o programa Educate a Child sedeado no Qatar, apoiará a construção de 25 infra-estruturas do ensino. Mantém o apoio ao Ministério do Ambiente nos seus esforços de conservação da palanca negra, através da sua contribuição ao programa da Fundação Kissama, pelo oitavo ano consecutivo.
As contribuições para 2018 foram disponibilizadas pela ExxonMobil e pela Fundação ExxonMobil, e a sua filial Esso Angola investiram mais de 90 milhões de dólares em projectos comunitários em Angola.
As Organizações Não-Governamentais são parceiras inseparáveis que trabalham no terreno para transformar estes fundos em bens e serviços tangíveis em benefício nas comunidades.
Aponta a necessidade e a convicção de investimentos proporcionar o bem-estar e desenvolvimento das comunidades.