A empresa detentora da unidade fabril que investiu inicialmente 44 milhões de dólares lançou à semana passada nova marca do produto denominada Tchizo

JOAQUIM SUAMI, CORRESPONDENTE

A empresa cervejeira, CERBAB, produziu durante o exercício económico de 2009, entre Novembro a Dezembro, período em que arrancou a fabrica, 140 mil hectolitros da cerveja Cuca, numa produção mensal de 14 mil hectolitros, o que representa uma receita avaliada em 360 milhões de kwanzas.

A CERBAB, localizada no bairro do Cabassango, que teve um investimento privado avaliado em 44 milhões de dólares, produziu até ao primeiro trimestre do ano corrente, 28 mil hectolitros de Cuca e prevê atingir ate ao final do ano 200 mil hectolitros de cerveja.

A cervejeira Cerbab desde que iniciou a sua actividade, em Novembro do ano transacto, tem como as principais marcas de produção, as cervejas Cuca, Dopel e Tchizo. Utiliza Lupolo, água mineral pura, milho e malte, como principais matérias-primas para a produção das cervejas Cuva, Dopel e Tchico, proveniente da França, Bélgica e Portugal.

O director-geral da CERBAB, René Cardone, disse ao JE que o sucesso que a cervejeira tem obtido no mercado cabindense, deve-se ao facto de a fábrica ser nova e a única a produzir cerveja na região.

“A CERBAB possui equipamentos modernos e de tecnologia de ponta, o que faz a empresa estar sempre em progressão máxima, porque temos técnicos capacitados que cuidam desses equipamentos e estamos constantemente a mudar as máquinas”, afirmou René Cardone, para quem o objectivo da empresa é de evoluir cada dia que passa.

“Temos um laboratório que controla a produção da Cuca, desde do início até ao fim da fabricação, o que nos ajuda a realizar um bom produto que levamos para o nosso consumidor”, disse.

CERBAB produz 135 garrafas diariamente

A CERBAB, em parceria com a empresa de fabricação de vidros, Vidrul, produz por encomenda 135 mil garrafas/dia para o enchimento da cerveja Cuca.

“A empresa tem estado a trabalhar, em parceria com a empresa Vidrul, para a produção das garrafas para o enchimento da Cuca. As garrafas são retornáveis de modo a preservar o meio ambiente para se evitar a poluição”, disse o director-geral, René Cardone.

O responsável máximo da CERBAB disse que a população da província de Cabinda está a aceitar e a consumir sem sobressalto o seu produto, embora a empresa seja nova no mercado cabindense. O responsável realçou que a fábrica que dirige possui um sector comercial que tem estado a trabalhar na comercialização da cerveja Cuca em todos os cantos da região mais ao norte de Angola.

“A nossa empresa criou uma rede de distribuição e tem uma linha de produtos que são a Cuca e a Dopel, que estamos a atentar colocar no mercado para o consumo da população, porque o nosso objectivo é das pessoas terem o orgulho da cerveja produzida localmente. Também levamos o nosso produto em qualquer lugar onde estiver o consumidor”, precisou.

René Cardone referiu que os preços praticados pela CERBAB aos grossistas de mil e 50 kwanzas e dos consumidores que vivem nas zonas longínquas de mil e 85 kwanzas, onde a entrega é feita ao domicílio, facto que tem contribuído para a rentabilidade da fabrica.

Empregos

O director-geral da CERBAB, René Cardone, afirmou que a fábrica que dirige tem contribuído no desenvolvimento da economia da região e nacional. Referiu que a empresa emprega 240 jovens da província de Cabinda, que têm estado a adquirir formação nas áreas de carpintaria, mecânica, gruistas, maquinaria, laboratório e nas linhas de enchimento.

“A CERBAB está a contribuir no desenvolvimento da economia local e nacional. A empresa emprega 240 jovens locais que beneficiam de formação nas áreas de carpintaria, mecânica, gruistas, laboratório e na linha de enchimento. A empresa convida igualmente especialistas de outros países para darem formação aos jovens nas diferentes áreas da CERBAB”, disse.

René Cardone referiu que outra forma que a fábrica de cerveja CERBAB contribui para a economia da região é da sub-contratação de empresas locais para a revenda do produto, que, por sua vez, empregam mais de 20 jovens.

Lançamento da Tchizo

A fábrica de cerveja Cerbab, em Cabinda, introduziu no dia de África, no mercado local, nova marca de cerveja denominada “Tchizo” em garrafas de 31 centilitros.

A nova merca, cuja cerimónia de lançamento foi assistido pelo governador da província de Cabinda, Mawete João Baptista, é a terceira a contar da Cuca e Dopel igualmente produzidas naquela unidade fabril, que congrega maioritária uma força de trabalho composta por jovens recém formados no Instituto Politécnico de Cabinda.

O governador Mawete João Baptista satisfeito com o empenho do grupo empresarial Cerbab, que já investiu 46 milhões de dólares em obras de construção, equipamentos e compra de matéria prima para a unidade, disse que a nova marca de cerveja representa para economia da província mais um ganho rumo ao desenvolvimento da região. O chefe do Executivo de Cabinda apelou a empresa a expandirem o negócio às outras localidades do país, com vista a garantir mais postos de trabalho a nacionais.

“Este gesto dos trabalhadores da fábrica Cerbab significa que a economia de Cabinda vai crescer ainda mais com várias iniciativas do género”, disse o governador.

Leia mais detalhes da notícia na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação