A direcção da Família e Promoção da Mulher no Cuando Cubango carece de soda, produto utilizado para a fabricação de sabão caseiro, visando a contínua formação de cidadãos nas zonas suburbanas.
A informação foi avançada à Angop, na última terça-feira, pela directora da instituição, Florinda Alberto Katongo, tendo explicado que o processo de fabricação, consubstancia na formação prática dos beneficiários, teve a sua paralisação no mês de Junho do corrente ano.
Segundo a responsável, esta preocupação foi encaminhada às administrações municipais, no sentido de disponibilização de recursos financeiros para aquisição e o consequente prosseguimento, mas que até ao momento a situação prevalece.
O responsável informou que no período de 2015 a 2017 a instituição formou 964 cidadãos, dos quais 925 são mulheres e trinta e nove homens no fabrico do sabão caseiro.
Estes indivíduos, prosseguiu o responsável, foram formados nas localidades de Kanhongo, Kutato, Bundu, Caiundo, Mbimbi e em diferentes igrejas, como Bom Deus (112), Ieca (154), Ueia (148) e Pentecostal (54),
isto no município de Menongue.
Precisou que a iniciativa visa, essencialmente, ajudar a população na sua sustentabilidade, bem como a diminuição da fome e da pobreza no seio de muitas famílias.
O projecto, que está implementado em todas as localidades da província do Cuando Cubango, está a contemplar centenas de famílias com rendimento baixo em diversas localidades da província.
No entanto, segundo apurou o JD, o propósito da acção é dar resposta às orientações saídas do Fórum de Auscultação da Mulher Rural, que visa ocupar as mulheres em trabalho útil, bem como reduzir à fome e à pobreza
no seio das comunidades.