Cento e cinquenta milhões de kwanzas constitui o volume de negócios apurados na segunda edição da Feira Internacional do Cuanza Norte (FICN), encerrada nesta segunda-feira, no quadro das comemorações dos 62 anos da cidade de Ndalatando, capital da província, fundada a 28 de Maio de 1956.
A informação foi avançada pelo director da empresa promotora do evento, Carlos Calas.
A feira contou com a participação de 180 expositores, tendo registado uma melhor organização, comparativamente à edição anterior, a julgar pelo volume de negócios realizados e à afluência do público visitante.
A exposição proporcionou empregos temporários a 150 jovens e permitiu a troca de experiência e a constituição de parcerias entre empresários nacionais e estrangeiros.
Com uma adesão de mais de 10 mil visitantes, a feira contou com stands dos sectores da indústria transformadora, banca, agro-negócio, seguros, mecanização agrícola, telecomunicações, geologia e minas, electricidade, entre outros.
Assegurou que para o próximo ano, a realização pensa em melhorar o evento com o aumento do número de expositores e melhoria do recinto que deverá contar com duas naves gigantes, visando melhorar a acomodação e elevar o número de expositores.
Além da oportunidade de negócios e de troca de experiências, referiu que o evento que registou a segunda edição este ano, constitui uma oportunidade para atracção de investimentos para a província, promoção de novas oportunidades de negócio e alavancar a economia da região.