Fertiáfrica, empresa angolana que se dedica à produção de fertilizantes assegurou em comunicado que, na sequência do novo estudo de impacto ambiental solicitado pelos órgãos de tutela, referente à sua unidade de produção, na província de Benguela, contratou a consultora Resurb Ambiente, para realizar o estudo.
De acordo com uma nota que o JE teve acesso, o estudo permitiu analisar os impactos associados às fases de exploração e desactivação, uma vez que, a fase de instalação está praticamente concluída.
Face às medidas de minimização e compensação recomendadas neste estudo, e as melhores técnicas disponíveis implementadas, não se prevê que existam alterações relevantes do meio ambiente.
O documento, submetido à sua unidade misturadora de fertilizantes está equipada com tecnologia de ponta, equipamentos novos e com sistema de controlo de emissões mundialmente testados, que previne eventuais riscos ambientais.
A fábrica está pronta para iniciar a produção de fertilizante NPK, numa quantidade de 500 toneladas por dia e um total de 15 mil toneladas por mês, podendo esta quantidade vir a aumentar, para 30 mil toneladas/mês.