Isaque Lourenço

A Feira Internacional de Luanda (FILDA) e a Agência Nacional para o Investimento Privado (ANIP) apostam na criação de um Centro de Investimentos e de Negócios de Angola (CINA), que servirá de interface às empresas nacionais e estrangeiras, segundo o seu director, Marco Hupe.

A instituição, que funcionará através de uma joint-venture entre a FIL e ANIP, tem como objectivo estimular e atrair investimentos para o país. Ela vai dar continuidade às intenções de negócios alcançados na FILDA, que após os contactos mantidos entre empresas e representações na feira, auguram que rapidamente se passe do papel para a sua materilaização.

Marco Hupe explica que o CINA vai trabalhar em conjunto com a ANIP, enquanto agente de promoção de investimento, de maneira a reforçar a entrada de financiamentos à economia e, para tal, se vai munir de instrumentos e metodologias próprias que são observadas nas grandes economias mundiais, onde estes serviços já estão bastante desenvolvidos.

Metas pretendidas

A fonte adianta ainda que a criação deste serviço vem responder ao desafio de diversificação da economia angolana, porquanto, através da captação de mais investimentos, se poderá desenvolver um amplo programa de recuperação de outros sectores da produção nacional.

Assim, conforme explica, vão aproveitar e incrementar pelo país os encontros de negócios, as feiras de investimentos, o uso da Internet, as interfaces virtuais, como mecanismos de facilitação destes programas.

O gestor disse também não ter dúvidas de que a melhor forma de permitir a entrada de capitais estrangeiros na economia angolana é a de manter uma base de informação sobre as oportunidades que o mercado oferece, além de, através de instituições credíveis e idóneas, como já é o caso da ANIP, e agora se vai juntar o CINA, que fará a ligação entre empresários nacionais e estrangeiros.

“Com base neste processo, aplica-se o princípio do ganha-ganha. Isto é, ganha o empresário angolano e ganha também o estrangeiro”, explica a fonte, ao comentar sobre o surgimento do CINA na cerimónia de entrega de prémios aos participantes da FILDA.

Leia mais sobre a FILDA no Jornal de Economia & Finanças desta semana, que já está nas ruas.