ANDRÉ SIBI

Com um volume de negócios acima dos USD 10 milhões, a empresa de capital luso-angolano “Fil Tubos Angola” prevê aumentar o seu volume de produção anual em mais 25% até ao final do ano. Em declarações ao JE, o seu director comercial, Gonçalo Graça Mora, disse que a produção da sua firma vai aumentar para melhor responder à demanda do mercado.

Acrescentou que os actuais níveis de produção da empresa são insuficientes para atender à demanda das solicitações recebidas diariamente, dada a qualidade dos produtos fabricados pela empresa.

Segundo afirmou, o aumento dos níveis de produção que a empresa espera alcançar no último semestre será superior em relação ao mesmo período do ano passado. Para 2010, a empresa prevê duplicar esta receita nos primeiros seis meses.

Com os actuais níveis de produção, a empresa atende as províncias de Luanda, Benguela e Huambo. A intenção é levar os tubos às 18 províncias do país, disse o responsável.

De acordo com o director comercial da “Fil Tubos Angola”, a empresa dedica-se essencialmente ao fabrico e comercialização de tubos de diversos calibres, que vão desde PVC, tubos para redes eléctricas, redes de água, redes de saneamento básico, polietilenos e polipropilenos.

Por outro lado, Gonçalves Mora revelou que a empresa fabrica tubagens de diferentes diâmetros, que variam entre 16 a 800 milímetros.

Províncias

Localizado no Município de Viana, a empresa está representada nas províncias de Benguela (Lobito). Além de Benguela, a “Fil Tubos Angola” conta com uma carteira de clientes nas províncias do Huambo, Malanje e Huíla (Lubango).

Até há dois anos, a “Fil Tubos Angola” dedicava-se apenas à comercialização de tubos de diferentes calibres, hoje, para melhor responder às necessidades do mercado, a empresa montou a actual unidade fabril no município de Viana, numa área de 800 mil metros quadrados, dos quais 25 mil são ocupados pela zona de produção.

Na sua lista de clientes constam empresas de construção civil, como a brasileira Odebrecht, a angolana Prumo e a portuguesa Mota-Egil. Além das vendas a grosso, a empresa comercializa tubos a compradores singulares e empresas de construção civil e obras públicas. A “Fil Tubos Angola” importa matéria-prima de Portugal para fabricar os tubos.

Recursos Humanos

Quanto aos recursos humanos, a empresa conta com mais de 40 profissionais, entre homens e mulheres, e nacionais e expatriados.

Parar melhor responder às necessidades técnicas da empresa, está em curso uma acção formativa destinada a jovens angolanos em diferentes especialidades, que vão desde técnicos da área administrativa, motoristas e operadores de maquinarias diversas.

Para manter os níveis de produção, a empresa conta com um grupo de técnicos expatriados, na área de manutenção dos principais equipamentos da empresa.

Quanto aos equipamentos usados no fabrico de tubos, a firma conta com uma maquinaria de origem alemã e portuguesa.

Os preços de venda de tubos variam de acordo as quantidades a serem adquiridas, a qualidade e a finalidade a que se destina o material.

A “Fil Tubos Angola” tem um pequeno posto de venda na sede da fábrica, além dos revendedores grossistas vocacionados à venda de material de construção civil.