A inclusão no sistema financeiro e o acesso ao financiamento são condições essenciais para a criação e desenvolvimento das Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPME) robusto e sustentável a médio longo prazo,segundo um estudo da Deloitte. O estudo revela que em Angola existem 800 mil MPME. De acordo com o artigo do Observatório da Inclusão Financeira, existiam em 2010 entre 420 a 510 milhões de MPME no mundo, 85 por cento das quais localizadas em países em desenvolvimento, com a região da África Subsahariana a representar cerca de 8,6 por cento do total (aproximadamente 40 milhões de empresas). Dentro desta região, a Nigéria detém o maior número de MPME (24 por cento), seguido da Tanzânia (11) e do Congo (7), com Angola a representar 2 por cento. Nesta quarta edição, o documento assegura que é evidenciada a relação entre a actividade das MPME e o crescimento económico dos países, estimando-se que o contributo para o produto interno bruto global seja aproximadamente de 65 por cento. Contudo, são identificados alguns obstáculos ao desenvolvimento da actividade destas empresas nos países em desenvolvimento, como a exclusão do sistema financeiro do acesso ao financiamento, a electricidade e a competição das empresas não formalizadas.Segundo José Barata, sócio e líder do sector de serviços financeiros da Deloitte em Angola, quando realizado de forma integrada e estruturada, o processo de inclusão financeira não só permite fornecer às empresas os instrumentos financeiros necessários ao desenvolvimento da sua actividade, promove também o desenvolvimento de outras dimensões como a formalização da economia, criação de um clima de negócios adequado e o aumento da produtividade. Perante este contexto, assegura relatório, torna-se necessário trabalhar os desafios que estas empresas enfrentam e, assim, impulsionar o seu crescimento e o desenvolvimento das economias em que actuam, promovendo a diversificação e a consolidação. Deste modo, deve ser implementado um conjunto integrado de acções, como alargar e melhorar o acesso a produtos e serviços financeiros formais, incentivar a formalização das MPME, criar um clima de negócios favorável às MPME e fomentar o aumento da produtividade através da melhoria das condições de trabalho. O estudo sugere que, para que as MPME sejam sustentáveis e criem valor, a sua produtividade tem de aumentar.